O exemplo da China e as suas Cidades Inteligentes

Compartilhe !
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

A China tem cerca de 500 projetos piloto de cidades inteligentes, o número é o mais alto do mundo, de acordo com Deloitte, empresa líder de auditoria e consultoria. Mais de mil projetos piloto de cidades inteligentes estão prontos ou em construção em todo o mundo, de acordo com relatório publicado pela empresa.

Tudo teve início quando a China começou a pilotar o desenvolvimento nacional de cidades inteligentes em 2012 para incentivar o uso da tecnologia mais recente, como a inteligência artificial e a Internet das Coisas, para ajudar o fluxo de tráfego, melhorar a aplicação da lei e tornar os edifícios públicos mais eficientes em termos energéticos. A China pretende criar 100 novas cidades inteligentes até 2020 para liderar o planejamento e desenvolvimento urbano do país, segundo o relatório.

A China busca construir cidades inteligentes e a indústria terá mais apoio político e de investimento, conforme foi divulgado pela agência de notícias estatal Xinhua, Ma Jionglin, um parceiro sênior da Deloitte.

Shenzhen é um dos principais exemplos de cidades planejadas e inteligentes que brotam mundo afora. São áreas escolhidas a dedo e que servem como modelo de desenvolvimento nas mais diversas frentes, notadamente em inovação e sustentabilidade. A receita é sempre parecida. Escolha uma região com dificuldades econômicas, faça pesados investimentos em infraestrutura urbana e de telecomunicações, dê incentivos financeiros e tributários para atrair empresas, crie centros de pesquisa e inovação. Se tudo der certo, as cidades conseguirão caminhar com as próprias pernas em alguns anos ou décadas. Se tudo der muito certo, estenderão sua influência por dezenas de quilômetros, criando um polo de desenvolvimento.

No melhor dos cenários, o sucesso dessas cidades servirá como laboratório para oxigenar o ambiente de negócios e as políticas de desenvolvimento do país, e ainda se transformar numa peça de propaganda global. “Em Shenzhen, o governo é muito inovador e agressivo na adotação de novas tecnologias. A chave é tomar as decisões e apoiar os investimentos da iniciativa privada”, diz Tom Zhao, diretor da divisão de energia solar da BYD, maior fabricante de carros elétricos do planeta, instalada em Shenzhen.

Shenzhen e a industria de carros elétricos

A China se colocou na missão de construir uma economia sustentável com a base de energia renovável nos próximo anos, e como exemplo disso temos a cidade de Shenzhen, a cidade que se transformou mais rapidamente em uma megalópole na história. 40 anos atrás, era uma vila de pescadores. Hoje, já tem mais de 40 arranha-céus.

O crescimento acelerado trouxe problemas claros. A cidade passou a ter 3 milhões de carros, poluição e trânsito. Para reverter esse quadro, o governo começou a apostar em veículos elétricos e formas alternativas de energia.

Confira no vídeo abaixo como Shenzhen vem trocando suas frotas de carros convencionais por carros elétricos, menos poluentes tanto ao meio ambiente quanto ao ambiente sonoro:

Expresso Futuro: cidade aposta em veículos elétricos e formas alternativas de energia.

Fontes: SmartCity Laguna e G1.

Sobre mim

Sou Luciano Roberto, tenho 28 anos, sou bacharel em Sistemas da Informação, profissional de tecnologia da informação, pessoa com deficiência, incentivador de políticas progressistas, inovadoras e trabalhistas.

Postagens Recentes

Me Siga no Facebook

Inscreva-se

Se inscreva para receber novos posts e novidades sobre mim.

Copyright 2019 © Luciano Roberto - Todos os direitos reservados.